UNIDADE DOS TRABALHADORES E ESTUDANTES BARRA EBSERH NA UFRJ

EBSERH

O documento entregue pelo Sintufrj informa que o reitor, em reunião, com a participação do Sintufrj, disse que o pagamento dos APHs e das horas extras atrasados dependia de liberação do MPOG. E que o Sindicato tomaria todas as providências cabíveis, inclusive deflagração de paralisação, se for o caso, para impedir qualquer injustiça e exploração da força de trabalho. Coube ao coordenadorgeral Celso Procópio entregar a Sérgio Mendonça o abacaxi que representava a Ebserh; ao coordenador de Organização e Política Sindical, Rubens de Moraes, o abacaxi que representava a falta de uma política salarial; e à coordenadora de Educação, Cultura e Formação Sindical, Maria Sidônia dos Santos Lira, o abacaxi que simbolizava a falta de pagamento dos APHs e das horas extras. Os sindicalistas subiram no palco e abordaram o secretário quando ele concluía a palestra “Os desafios da gestão federal nas Ifes” e mencionava que a “...democratização nas relações de trabalho deve refletir em melhoras na gestão pública, e que o papel dos servidores é crucial para o projeto de desenvolvimento do país”.