UNIDADE DOS TRABALHADORES E ESTUDANTES BARRA EBSERH NA UFRJ

Grupo técnico deverá ser nomeado esta semana

 

Já foram indicados os especialistas que formarão o grupo técnico que fará o diagnóstico dos hospitais universitários para subsidiar a proposta de gestão para essas unidades de saúde

 

A última reunião da Comissão de Acompanhamento do Conselho Universitário, dia 6, na Reitoria, definiu os nomes dos especialistas da universidade que integrarão o grupo técnico que produzirá os diagnósticos das áreas de finanças e compras, gestão de pessoas, direito administrativo e contratual, administração hospitalar, planejamento em saúde, tecnologia da saúde e necessidades acadêmicas das unidades hospitalares da UFRJ. Inicialmente são 27 pessoas: 21 professores e 6 técnicos-administrativos, que serão consultadas para a nomeação pela Reitoria ainda esta semana.

 

A Comissão de Acompanhamento – composta por integrante das comissões permanentes do Conselho Universitário (de Desenvolvimento, de Legislação e Normas e de Ensino e Títulos) – tem prazo de 60 dias, a partir da instalação do grupo técnico, para apresentar os diagnósticos e uma proposta de gestão para os hospitais universitários. No dia 11 de junho, terça-feira, está marcada uma nova reunião da Comissão de Acompanhamento, das 9h às 11h, para elaborar o roteiro de trabalho para o grupo técnico. Nesse mesmo dia deverá ser instalado o grupo técnico. De acordo com um dos representantes dos técnicosadministrativos no Conselho Universitário, Nilson Theobald, que também integra a Comissão de Acompanhamento, a ideia do roteiro é reunir elementos para orientar o trabalho dos especialistas de cada área no que se refere às necessidades acadêmicas, estruturais e contratuais das unidades hospitalares. Os diagnósticos produzidos pelos técnicos serão a base para a elaboração do parecer a ser apresentado ao órgão

máximo de deliberações da UFRJ.

 

Avaliação

Para Nilson Theobald, a reunião foi tranquila e prevaleceu o entendimento geral de escolha de especialistas das áreas com competência técnica e acadêmica. Bastaram para isso apenas duas reuniões numa mesma semana. A primeira limpou o campo numa possível tendência de lado a favor ou contra a Ebserh; a segunda bateu o martelo de forma consensual: “A preocupação das comissões foi indicar – a partir dos perfis definidos pelo Conselho Universitário – pessoas que fossem autoridades acadêmicas, isto é, especialistas nas suas áreas, que pudessem fornecer para as comissões e para o Conselho Universitário um diagnóstico dos problemas dos nossos hospitais.

 

Percebemos hoje que a universidade nunca tratou desse problema de frente. E a melhor maneira encontrada foi usarmos nossos especialistas para mostrar a real situação dos HUs e apontar os caminhos a serem seguidos”.

 

Luta sindical na UFRJ foi vitoriosa

 

O governo apresentou como solução para a crise dos hospitais universitários a transferência da gestão dessas unidades de saúde para a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). Essa proposta desencadeou uma grande batalha dos movimentos sociais nas universidades federais para impedir a implantação de um modelo privatizante nos HUs e a quebra da autonomia universitária.

 

Em algumas universidades a Ebserh foi aprovada em seus conselhos universitários. Na UFRJ a mobilização conjunta do Sintufrj, Adufrj e DCE durou meses e conseguiu barrar a aprovação da Ebserh na sessão do Consuni do dia 23 de maio. E dessa reunião saiu uma proposta de consenso formulada pelas comissões do colegiado: a criação de um grupo de trabalho autônomo da universidade (o grupo técnico) para produzir um diagnóstico dos HUs e servir de base para a elaboração de uma proposta de gestão. O prazo dado foi de 60 dias a partir da instalação do grupo técnico.

 

O trabalho desse grupo técnico seria acompanhado pelas comissões permanentes do Conselho Universitário. Na sessão do dia 23 também foram definidos os nomes dos integrantes das comissões que formaram a Comissão de Acompanhamento do trabalho do grupo técnico.

 

A Comissão de Acompanhamento deu mais um passo para resolver os problemas dos HUs realizando a reunião no dia 6, que indicou os nomes dos especialistas da UFRJ para compor o grupo técnico que será nomeado ofi cialmente pelo reitor e instalado para iniciar seus trabalhos.

EBSERH